Super atualização antes que termine 2010!!!!!

Afff mas eu não tenho um pingo de vergonha nessa minha cara de deixar esse blog tão abandonado, outras coisas tão mais inúteis estão atualizadissímas e meu querido blog aqui, abandonado, indo para as cucuias...
Muitaaaaaaaaaaaa coisa aconteceu desde meu último post, então preparem-se para fortes emoções, choros, suspense, romance, drama e final feliz ou não... não nada de final porque eu só tenho 6 meses de EUA e ainda está longe desse tal de final...
Bom em ordem cronológica desde meu último post, a coisa emocionante que eu fiz logo em seguida foi SKYDIVING...
Se um dia nessa sua vida você tiver a oportunidade de saltar de paraquedas, não pense mais de 2 segundos e por favor VÁ!
Foi uma experiência que eu não tenho nem palavras para descrever, valeu cada dólar, porque a sensação final de que cair em queda livre, com nada entre o céu, você, e o chão, sentindo um pássaro que se jogou do ninho para aprender bater as asas, o frio na barriga, o ar que não vem, a adrenalina... OMG!
Fiquei uns 3 dias com a perna doendo, meu paraquedas estava muito apertado na perna, espremeu minha coxa na hora que abriu deixando uma linda marca roxa por 3 dias... Mas fora isso, foi S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L!!!
 Eu ia botar fotinhas aqui como sempre faço nos meus posts, mas a 4 dias atrás a gente se mudou de cidade e casa, e meus hosts decidiram que o desktop que tinha no quarto da au pair já deu o que tinha que dar, e me deram um macbook white pra usar, que agora eu uso debaixo das cobertas no conforto de minha cama... e absolutamente todas as minhas fotos então no outro computador, não tenho nenhumazinha aqui para postar pra vocês... Sorry!
Desde meu último post, eu não tive mais nenhum problema com a minha host mom, depois da conversa que meu host dad teve com ela (que foi logo depois da conversa que ele teve comigo que eu citei no último post), ela mudou, foi gradativamente se tornando uma companhia muito agradável, não que nós tenhamos nos tornado as melhores amigas ever, mas a convivência na minha casa está muito melhor, ela é mais velha 1 ano e meio do que a minha mãe, então eu basicamente respeito ela, ela me respeita, a gente colabora uma com a outra, e temos um ótimo relacionamento, sem estresse, sem cobranças, se eu faço alguma coisa errada ela tem um novo tom muito mais de boa para me dar um toque, e se algo não me agrada, eu tento falar no meu melhor tom também, a única coisa que me incomoda no momento é a gente ter mudado para uma cidade onde as coisas ficam longe, inclusive longe das amigas que eu tinha feito, e eles aindam não terem retirado a restrição em relação a sair com o carro a noite... mas isso eu ainda espero cenas dos próximos capítulos, meus hosts não fazem o tipo injustos, acredito que se me verem muito trancada dentro de casa vão se tocar que estão fodendo com a minha vida social com essa regra idiota... e espero que se toquem logo e revejam a regra logo...
Uma coisa que era muito foda é que quando eu vim ela disse que podia receber amigas, chegando lá ela retirou a regra, e agora na casa nova, devido a toda a privacidade do flat da aupair com quarto espaçoso, banheiro, closet, cozinha, entrada privativa... ela liberou de receber amigas de novo.
Então digamos que só falta eles retirarem a regra idiota do carro para minha vida ficar ótima.
E veio o HALLOWEEN!!!!!!!!!!!!
Eu fui de pirata, aqui época de halloween muito legal porque têm os kits de fantasia prontinhos para gente comprar, o pessoal leva a sério tinha cada fantasia legal na festa CARACASSSS...
O halloween foi num sábado, mas na sexta já fomos pra farra, e eu peguei o primeiro americano, depois de 4 meses nessa terra gay... era gostoso, que corpinho indecente, e eu naquela carência, ele ali com aquele machadinho na mão, enfim só não me pergunte o nome...
Nunca tinha feito isso na vida beijar e nem perguntar o nome. Mas a gente meio que não liga para nomes quando já tem um nome gravado no coração... ai que brega isso...
Aí no dia seguinte íamos para o Halloween do Hilton Hotel de San Francisco, chiquérrimaaaaaa, mas uma bosta, estava muito cheia, tinha muita gente bonita, bem fantasiada, decoração excelente, masssss estava uma bosta, aí apesar de termos pago o olho do cú pela festa saímos de lá e fomos para o mesmo lugar do dia anterior e estava bombando, as minhas duas amigas estavam com bofes que elas já tinham engatilhado, e eu fiquei lá na arquibancada mas estava de boa, quando de repente fomos parar numa after party (que são o que salva a gente aqui né, vamos combinar que 2 da manhã não é hora de mandar a gente pra casa), e o amigo do menino que minha amiga estava ficando, um irlândes muito engraçado, estava fantasiado de Prince, o cantor sabe? Muito brega!!!! A começar com a calça rosa de lycra que ele estava combinando com a jaqueta de oncinha... conversa vai, conversa vem, foi mostrar a Golden Gate do detalhado do prédio, lindaaaaa numa noite estrelada, não preciso nem falar que o Halloween foi muito lucrativo! Beijei um irlândes, porque afinal de contas eu estou num intercâmbio cultural, e o outro lá não sabe se casa ou compra uma bicicleta... ah é ele comprou um carro dia desses...
Bom tentando seguir com as atualizações, eu fiz uma viagem pelo sul da california: Santa Barbara, Santa Mônica, Los Angeles, Hollywood, Beverly Hills, San Diego e Disneyland!
A viagem foi massa!!!!! Muito cansativa, dirigi bastante, o que foi bom, porque eu estava com saudade de dirigir sem medo de ser feliz, já deu tanta merda com os carros daqui de casa que toda vez q eu pego a chave dos carros eu já pego rezando...
San Diego é maraaaaaaaaa foi a cidade que passamos menos tempo, e definitivamente vamos voltar no verão, diferente de San Francisco tem homiiiiiiiii a rodoooooooooo os quais a gente nem aproveitou porque estavamos mortas e iamos para disney no dia seguinte então tinhamos que economizar energia.
A Disney, sem palavras você vira criança de novo, aquilo foi um sonho, choveu muito, mas foi lindo, foi sonho, tirei foto com pateta e o mickey mouse, gastei todos meus últimos dolares na lojinha para trazer um Mickey e uma Minnie para casa, mas como valeu a pena!
Uma semana depois dessa viagem de sonho que eu voltei no domingo, só deu tempo de fazer a laundry, os quatro dias passaram voando, e na quinta eu embarquei pra Pennsylvania.
Falar disso aqui vai partir meu coração que já está despedaçado por causa do natal, mas eu fui para Pennsylvania como todos sabem por causa do bofe, aquele que me fez querer ser au pair e vir para os EUA, aquele que me fez ficar meses procurando família na PA, então eu tomei coragem e fui, foram 10 horas de vôo para mim e 4 horas de carro para ele, e eu passei os 3 dias que eu sempre sonhei com o homem que eu só teria nos meus sonhos.
Mas foi isso, voltei para California, ele está na Pennsylvania, para mim seria muito complicado agora pensar em ir para uma família na Pennsylvania no segundo ano, o que eu faria se ele saísse da moita ao invés de cagar, mas relacionamento a distância ainda mais quando você se quer tem tempo para conhecer a pessoa direito, é muito complicado. Nenhum de nós dois está pronto para fazer isso, porque ambos já passamos por isso antes e ambos concordamos que não funciona.
Ele me fez mover montanhas (no mínimo mudou o percurso da minha vida e me fez comprar algumas passagens aéreas), mas é isso e não sei quanto mais de força tenho, faz mais de um ano que a gente está nessa, e a maior parte  dos sacrifícios foi eu quem fez, porque claro se vocês não sabem americano são todos loucos, traumatizados e problemáticos, e nós que nos disponibilizamos a nos relacionar com eles é que vamos nos lascar bancando as psicólogas, compreensivas e etc porque no fundo no fundo a tal da diferença cultural grita... mas todo mundo conhece alguém que casou na América e é muito feliz, porque se for amor e for de verdade no fim vence.
Basta saber se é amor, se é de verdade, e se vai vencer, o que mais tem que vencer... será que terei força, será que eu ainda quero? Ou talvez aquelas figurinhas interessantes que eu vi aqui na cidade onde mudei vão me mostrar que game over nessa história de Pennsylvania... Só Deus sabe como eu sofro por causa desse homiiiii... e alguns ombros amigos que escutam a minha ladainha over and over again... =p
Anyway não vou muito em frente com esse assunto (aliás ele acabou de mandar um text de Merry Christmas Baby... ) porque eu choro, eu entrei numa deprezinha semana passada que quase eu mesma fiquei com dó de mim, e isso seria o fim do mundo porque odeio sensação e gente coitadinha.
Ai eu fui para um bar mexicano, virei umas tequila com as amiga au pair companheira de botequis e baladis, já estou querendo pesquisar baladinhas na região nova, e simbora negadis que a vida é curta demais para chorar as pitangas que ainda nem cairam do pé.
Bom basicamente é isso, tentei atualizar com o máximo de coisas que eu lembrava, o post está soando bem mais humorado do que eu realmente estou no momento, esse negócio de natal está acabando comigo, já chorei 3 balde hoje e a tristeza não passa...
Eu estou aqui na casa nova, minha host family está lá em cima fazendo a comida para a Christmas Evening, e os avôs estão aqui também as kids todas felizes com os 50 presentes que têm para eles debaixo da árvore, OMG como foi díficil comprar presente para a minha family, caraca muito complicado comprar presente para quem já tem tudo!!!!
E eu estou curiosa para saber o que a auperária aqui vai ganhar de natal né...
Já falei com várias pessoas queridas do meu Brasil, chorei, ri, e achei que estava tendo um ataque cardíaco de tristeza, no momento eu só estou com fome.
Então mas se você acha que meu 2010 vai acabar assim, feliz na host family, com algumas aventuras no bolso, beijei 3 o ano inteiro... e estou com meu coração despedaçado por um B.A.B (bofe americano bundão)....
Oeeeeee só tenho uma coisa a declarar...
Vou passar o Ano Novo em Vegasssssss meu bem, e eu estou de férias até dias 02 então só tenho uma coisa a dizer: VEGAS SUA LINDA, SE ENCHA DE GLAMOUR, GATOS GOSTOSOS E DRINKS QUE DEVERIAM SER ILEGAIS DE T˜AO DELICIOSOS QUE EU ESTOU CHEGANDO!!!!!!!!!!!!

PS: Obrigadas a todas as pessoas que visitam e comentam esse blog, inclusive as aspirantes a aupair, muitas vezes eu não tenho tempo para retribuir o comentário mas eu visito todas, e na medida do possível acompanho o processo de vocês, inclusive quem sempre posta na comunidade au pair do orkut, ás vezes eu passo por lá e acompanho as meninas, que toda a energia positiva que me mandam vocês recebam de volta.
Então meu muito obrigada a todas vocês que fazem parte da minha vida de alguma maneira.
UM FELIZ NATAL E ANO NOVO PARA TODAS!!!!!

Read Users' Comments (7)

Como andam as coisas, estudar, e o que me faz ficar...

Eu bem que tento manter uma média descente de postagens nesse blog, mas é muito difícil por mil motivos, entre eles preguiça, cansaço, falta de tempo, falta de vontade, e aqueles momentos que eu abro a página para fazer o post e começam a piscar 10 janelinhas de pessoas chamando no skype e no msn, e óbvio que eu prefiro falar com as pessoas para matar a saudade.
A fase negra melhorou, as nuvens carregadas já passaram, ainda não chegou o tal do arco-íris mas pelo menos não estou mais no meio de uma tempestade.
É muito difícil enfrentar um momento desse longe de todo mundo que faz parte do grupo de pessoas com a qual a gente pode desabafar, chorar e pegar conselho, eu estava quase surtando, e tem dia que eu ainda acho que vou surtar, mas a gente vai segurando a pontas, equilibrando daqui e dali para não cair fora da corda bamba.
Teve Brazilian Day aqui em SF... levei as au pair gringa tudo pra sambar! Megan uma sul africana caiu no samba, comprou pulseirinha escrita Brasil e tentou arduamente requebrar os quadris como as brazucas que estavam por lá! E eu comi coxinha!!!!
Sobre estudar... claro que uma das coisas que mais me motivou vir para cá foi a oportunidade de estudar fora, mas se você querida leitora está pensando vir pensando que você vai conseguir ser uma ótima aluna, sempre fazer a lição de casa e ter tempo de folga para estudar para as provas, você está muito enganada!
Dá para estudar sim, se você tiver muita força de vontade para ir pra aula mesmo quando seu corpo está pedindo cama pelo amor de Deus, e claro se você meter a mão no bolso, porque curso aqui não é a coisa mais baratinha do mundo, tem bons cursos de graça, mas nada excelente.
Eu no momento estou fazendo um curso de English as a second language, e apesar de nunca ter feito inglês etapa por etapa e tal, a única coisa que foi um semestre de básico 1, e algumas aulas particulares com um professor americano antes do meu embarque, no teste da escola que eu estou estudando me colocaram praticamente no último nível, ou seja, não tem muito que eles possam fazer para me ajudar no meu inglês, então as vezes eu prefiro estudar em casa e por conta disso estou faltando pra estudar em casa, porque o que eu realmente preciso é gramática e o foco desses cursos geralmente é conversação. Eu já pesquisei para fazer outros cursos semestres que vem, provavelmente vou pedir mãetrocínio porque meu pobre salário de au pair não aguenta pagar sozinho as taxas da universidade, mas pelo menos são aulas que vão realmente significar alguma coisa no Brasil.
Bom como todos sabem os problemas que eu tive com a minha host devido ao temperamento lunar dela, a semana passada ela e meu host foram para o Hawaii comemorar 10 anos de casamento, e eu fiquei aqui com as kids e os avós vieram para me ajudar, a avó foi uma fofa me ajudou demais em tudo, me deu flores agradecendo a ajuda que eu dei para ela, a gente conversou muito, depois que eles foram embora meu host conversou comigo sobre eles estarem muito satisfeitos comigo, se eu não me sentir confortável de conversar com minha host para eu falar com ele, que o que ele puder fazer para eu me sentir welcome na casa ele tenta porque ele sabe que as crianças me amam, e falam de mim o tempo todo, e que ele está muito contente com meu trabalho e mesmo a esposa dele não sendo a pessoa mais fácil e amorosa do mundo para eu ter paciência que ela também está muito contente com meu desempenho.
Mas o que me faz ficar... ok eu amo as crianças também, muito, cada eu te amo e abraço espontâneo eu ganho o dia!, assim como eu amaria qualquer outras host kids que fossem tão legal quanto eles são pra mim, ás vezes eles são difíceis, tem dias de tempestades e trovoadas que eu tenho que dar berros, colocar de time out, aguentar choro, e separar eles se estapeando, mas no geral eles são ótimas host kids, claro que não estou aqui só por causa deles que eu não sou besta de basear o rumo da minha vida por crianças que provavelmente em dez anos nem vão lembrar direito quem eu fui, mas o tempo aqui passa rápido, aliás voa! Ao mesmo tempo que quando a gente fala de saudade parece que faz tanto tempo que você ganhou aquele abraço gostoso daquela amiga querida...
Então você vai ficando. Você passa um absurdoooooooo de tempo programando viagens, festas e coisas que fazem isso aqui valer a pena, se apoiando nas pessoas maravilhosas que você conhece graças a sua decisão de vir pra cá (né Dea!), tem dia que eu acho que um ano vai ser suficiente, tem dias que eu acho que vou precisar ficar dois anos mesmo, e tem dias que eu quero ir embora amanhã, tem dias que eu acho que minha host family é boa o suficiente para eu ficar o programa inteiro, tem dias que eu acho que não aguento mais nem um dia e durmo pensando amanhã eu começo a procurar outra host family e no dia seguinte a sensação passou... Então eu ainda não sei o que será de mim, ás vezes isso me incomoda, o não saber, e não ter nada planejado, mas o que eu posso fazer, sendo au pair você aprende que a vida não gira em torno do seu umbigo, e que ás vezes é preciso esperar a sua vez de o mundo girar a seu favor para as coisas acontecerem pra você. ;) 
   

Read Users' Comments (17)

Uma fase muito negra... nadando contra a maré!

Eu vou escrever porque esse blog é meu, eu posso escrever o que eu quiser, sem ter que ficar agradando todo mundo o tempo inteiro, e porque eu preciso desabafar, e agora são duas da manhã no Brasil eu não posso ligar para ninguém, e as amigas daqui... bom eu não tenho laços fortes com ninguém aqui para chorar minhas pitangas.
Eu estou numa fase muito mas muito difícil, desde esse acontecimento de ter furado o pneu do carro e minha host começar a me tirar todos os privilégios, todas as coisas mais azaradas que podem acontecer com uma pessoa está acontecendo comigo.
E não estou falando em relação a minha família, ás vezes minha host reage de acordo com a lua, mas eu gosto da minha família aqui, tem coisa que é injusta, tem outras au pairs que tem mais que eu, tem outras au pairs que tem melhor relação com a host family, mas eu estou conformada de que a minha família é boa sem necessariamente ser a melhor. A semana que eu perdi meu privilégios totais sobre o carro (eu ainda tenho parcial), quando eu acabar meu ano, ainda vou estar achando um absurdo, afinal têm três carros na casa, a primeira a ter um pneu furado fui eu, mas na mesma semana o pneu dos outros dois carros da casa apareceram furados também (1 estava com defeito de fábrica, e o outro furou quando meu host estava voltando do trabalho (OU SEJA PODE ACONTECER COM QUALQUER UM A QUALQUER MOMENTO EU NÃO SOU BARBEIRA).
Enfim coisas como comprar os óculos que você tanto queria, e em menos de uma semana os dois quebrarem, comprar um perfume e ele cair da sua bolsa e quebrar 5 minutos depois da compra, esquecer a bolsa com o passaporte, carteira com DS, cartões de banco e etc no ônibus e perder o domingo quase todo tentando resgatar, ouvir de uma das pessoas que você considera mais sua amiga nos EUA acidentalmente enquanto ela fala no telefone com outra pessoa que ela não confia em você, sentir que ela estava falando mal de você enquanto você não estava no carro, sem contar os milhares de tropeços de quase quebrar o pé, a minha cama ter quebrado, gente que fura compromisso de última hora, e etc de coisas que eu não vou ficar citando que eu não quero nem lembrar.
Tipo se essas fossem coisas que estivessem acontecendo com um espaço de tempo entre uma coisa e outra, eu conseguia me recompor e bola pra frente, mas ter alguma coisa ruim acontecendo com você todos os dias é muito muito foda.  
Aqui meu nível de positivismo é difícil de manter devido essa fase, e quem me conhece no Brasil sabe que eu sou uma pessoa alegre, pra cima, que faz piada de tudo, mas aqui está muito difícil me manter pra cima, eu já tenho que lidar com homesick, saudade dos amigos, estresse com host family, criança mimada, e ainda ter que ficar tirando energia de não sei aonde pra manter o astral lá em cima é um esforço sobre-humano.
Eu tento não pensar nas coisas ruins que me acontecem, dizem que atrai mais, mas isso pode ser considerado macumba, olho gordo, azar, ou só uma fase dependendo de quão cético você é. Só sei que está foda.
Ás vezes eu não consigo falar com as pessoas no Brasil, eu não quero passar pra elas o quão difícil está sendo isso aqui para mim, ficar fora da sua zona de conforto te endurece, você perde o jeito pra abraço e beijo, é muito tempo sem prática. Eu sinto tanta falta de falar com meus amigos, Joana, Danilo, Gaby, De, Mariana, eu sinto falta da minha cachorra, da minha casa, da minha mãe e do meu padrasto, da minha vida, e eu me sinto muito sozinha aqui, e mesmo ás vezes com as amigas daqui é uma solidão acompanhada, porque o arrombo que a saudade do Brasil faz em mim não é ''preenchível'' porque saudade é uma coisa que não tem piedade sabe, não pede licença, te machuca e nunca vai embora.
Enfim, o negócio é ir na igreja que a coisa está preta pro meu lado! rs
Contando as últimas... foi aniversário das minhas kids semana passada! Eita como aniversário americano é sem graça. Eles tiveram uma jump house (aqueles pula pula enorme), pizza, parabéns pra você, bolo e fim, nada de docinhos, salgadinhos, churrasco, bexigas, nada demais... mas eles ficaram tão felizes precisava ver a cara dos bichinhos coisa mais fofas.
Essa semana que passou eles quase me mataram do coração, eu estava fazendo o jantar, quando de repente percebi a casa extremamente silenciosa, quando fui procurar por eles, eles estavam escondidos debaixo da coberta, porque tinham feito bolas de papel higiênico molhado e jogado de cima da escada nas paredes, chão e na escada inteira, isso 15 minutos da surtada sistemática da minha host chegar, atrasei o jantar ela ficou doida da vida, mas que eu posso fazer se os filhos dela tem esse tipo de comportamento a hora que eu estou cozinhando.
Minhas aulas começaram, por enquanto estou fazendo inglês, segundo semestre certamente eu vou fazer algum curso mais interessante, mas por enquanto eu realmente estou precisando melhorar a parte gramatical do meu inglês, eu estudo muito por conta própria e isso me ajuda bastante, além dos livros em inglês que eu leio, isso ajuda no vocabulário.
Falando em aula, agora eu vou indo dormir... amanhã acordo cedo e já são meia noite por aqui!
Obrigada pelas visitas e pelos comentários, esse é o fator chave que faz eu me esforçar para manter este blog!

Read Users' Comments (11)

Enfim arrumei tempo para postar sobre o que aconteceu... e o que eu gostaria que acontecesse!

Era uma vez uma menina que estava numa fase de muito azar, a menina teve um pneu furado as 3 da manhã, não pediu socorro e voltou para casa dirigindo o carro com o pneu furado e toda sua vida de au pair foi por água a baixo depois disso...
Pois é, coisas ruins acontecem o tempo todo na vida das pessoas, e digamos que eu peguei da cota de alguém para a minha cota da semana passada.
A história bem simplesmente foi isso aí mesmo, furou o pneu as 3 da manhã comigo eu não sabia o que fazer, voltei para casa dirigindo o carro, na manhã seguinte minha host surtou completamente (sim, com um pneu furado), depois de eu passar o domingo trancada no meu quarto chorando, no domingo á noite dar o relatório do que houve com o pneu furado (faltou a explicação técnica, quase mande vir de alguma fábrica), chegou na segunda feira fui levar as kids pra escola com o outro carro, andei dois quarteirões, ascendeu uma luz no painel, desci do carro O PNEU DO OUTRO CARRO FURADO! Tudo bem que depois descobriram que o pneu tinha um defeito de fábrica, que pareciam que tinham dado 6 facadas no pneu (obvio que desconfiaram da au pair que aqui vos fala, mas foi uma desconfiança subetendida e investigaram e descobriram que foi defeito de fábrica), Sim era minha semana de sorte! Má sorte!
Dois pneus diferentes, de dois carros diferentes, em dois dias seguidos... (o escolhido foi vo... não fui eu mesma!)
Então e depois de tudo isso, primeiro me tiraram o privilégio total que eu tinha para o carro (agora só até meia noite, Oi? Virei Cinderela?), e agora me tiraram o privilégio de trazer amigas para dormir em casa, e ai acabou minha paciência.
Mentira, resta ainda um pouco, eu vou começar procurar família, extraoficialmente, tudo bem que foi um vacilo eu vir pra casa com o pneu furado, mas acho que a coisa toda foi transformada numa coisa muito maior do que é (minha LCC me ligou perguntando como foi o acidente de carro, e se eu estava bêbada, OI???), minha família não é ruim, mas pelo visto é o tipo de família tudo ou nada, e depois de um erro idiota, um pneu furado que pode acontecer com qualquer um, eles passaram de paraíso para o inferno em uma semana. E essas situação de começarem a mudar tudo que foi combinado no match, só por causa de uma bosta de pneu que eu estou pagando (vou ficar sem salário por causa diso), está me irritando profundamente!
Então eu vou procurar outra família, porque seguro morreu de velho, e porque eu estou de saco cheio desse papo de pneu furado, então antes que minha vida vire uma furada também, vou fazer alguma coisa.
Já pedindo ajuda de todas as amigas, e emails de lccs, e etc aquela via crucis quando a gente está encarando rematch, se eu achar uma família legal, sem dúvidas que eu vou abraçar a causa, porque não estou me sentindo bem aqui, repito que a família é legal, para alguma au pair que for perfeita e não comentar um erro sequer durante um ano.
Eu gostaria que eles tivessem pedido rematch, assim eu não teria que me dar esse trabalho, de ter que fazer uma listinha pra ela das coisas que tornaram minha vida insurportável aqui.
O que me mata sabe o que é, a ex au pair essas horas deve estar se deliciando porque eu não levei em consideração as coisas que ela disse, só que mal sabe que ela que meus problemas estão sendo completamente outros.
Mas tirando essa merda de vida de au pair... Minha vida de ser humano de fim de semana compensa!
Esse fim de semana fomos para Santa Cruz, eu não sabia que a gente ia pra praia, então acabou que fui de calça jeans, não fui a ET porque tinha muita gente de calça jeans na praia, mas passei um calor do cão!
Hoje o post vai ser curtinho que eu tenho que guardar criatividade para postar no blog das 30 mais tarde... mas aguardem cenas dos próximos capítulos, porque daqui pra frente tudo pode acontecer... ;)

Read Users' Comments (11)

Meu aniversário, um mês de EUA, teste de inglês do College, Napa e casa da Pauline...

Enfim os 23 anos cairam nas minhas costas no dia 27 de julho de 2010, eu confesso que a três anos atrás eu tinha uma outra visão de como estaria minha vida quando eu tivesse 23 anos, ser au pair e estar fora do meu país não estavam nos meus planos, meu planos provavelmente era casar com meu ex-noivo e começar minha vida ''adulta'', e aqui estou eu do outro lado do continente, numa viagem que muitas vezes não parece ter sido uma decisão só para aprimorar meu inglês, porque me proporciona muito mais do que isso.
Meu aniversário aqui foi confuso e difícil, saudade é um sentimento que maltrata a gente, aos poucos, e todos os dias, minha host family foi bacana, minha host cozinhou para mim, eles me deram presentes, as crianças ficaram um doce o dia inteiro, compraram cupcakes, cantaram Parabéns pra você em português e em inglês, eu não tenho foto soprando a velinha porque ficou na câmera da minha host e eles foram viajar essa semana e ela não me passou ainda, recebi muitas ligações e sms das au pairs que eu conheço aqui (conheço mais do que eu me dava conta), algumas me deram presentes, fui com três amigas au pairs na Ghirardelli Square que é uma fábrica de chocolate tomar sorvete inclusive a Pri que me deu uma bolsa/sacola do Marc Jacobs (linda!),  mas a coisa mais doida que aconteceu foi uma festa de aniversário no Brasil para mim, sem mim! Com direito a fotos, vídeos e uma caixa cheia de presentinhos enviada pelo correio!
As pessoas que foram na festa deixaram os presentinhos com a minha mãe ela colocou tudo numa caixa e me mandou, e eu chorei que nem uma retardada com as cartinhas que estavam dentro, mas quando eu falo que choro aqui, não é tristeza, eu choro de uma saudade apertada de vontade de abraçar essas pessoas que eu tanto amo e estão longe de mim, mas perto do meu coração.
Eu poderia escrever um post enorme só sobre meus amigos e minha família no Brasil, eu não sei se toda au pair tem essa sorte, mas meus amigos visitam a minha mãe e sempre ligam, mandam sms e vão na minha casa ver se ela está bem, porque todos eles sabem que ela era minha maior preocupação (meu padrasto, minha cachorra e meu peixe também, mas eu faço ela botar eles na webcam pra ver se eles tão bem rs) ver todas as pessoas que você ama cuidando umas das outras, e se unindo e não te esquecendo e quando eu digo não te esquecendo eu não estou falando que eles me escrevem e me ligam todos os dias, eu sinto toda a energia positiva quando eu ligo para minha mãe e ela me diz que recebeu uma ligação de fulano ou de siclano, uma visita de beltrano, de alguma forma eu desejo do fundo do meu coração que tudo isso volte em dobro para vocês, e pode deixar que se eu ganhar na loteria vou lembrar de vocês, ou pelo menos quando eu voltar eu guardo uns dolares para gente tomar umas! Ou uns Moussolini... #piadainterna
Fez um mês que eu cheguei aqui dia 28 de julho, parece muito mais! Eu não sei como as pessoas conseguem fazer uma listinha de tudo que fazem aqui no primeiro mês, mas eu vou dizer as mais importantes:
-Minha host family já não parecem estranhos para mim, as kids já me enlouqueceram de eu querer dar uns tapas na bunda, e já foram um amor pedindo para eu ficar com eles para sempre dizendo que me amam, já me adaptei com carro automático, já me perdi e tive que comprar um GPS, ainda não comecei a fazer nada de exercício que eu sei que preciso fazer, não engordei, emagreci! (obrigada host mom por ser exigente e só comprar coisas orgânicas e saudáveis!), já quis voltar para casa e me xinguei muito por isso no momento seguinte, compras não muito porque apesar de amar fazer compras aqui, tem coisas que valem mais a pena do que roupa, bolsa e sapato!, conheci cidades próximas, fiz amigas, algumas que provavelmente vão se tornar grandes companhias aqui, e outras que não faço muita questão de manter por perto, aprendi que balada aqui dá 1:30am eles acendem a luz para todo mundo ir embora, mesmo se o lugar estiver bombando, aqui tem muito homem lindo, apesar que até agora grudado em mim só tem um americano/mexicano (ele nasceu aqui mas a família é do mexico) e a coisa mais legal é que aqui você consegue ser amiga de menino sem precisar ter segundas intenções, apesar que to ligada que se eu der mole esse americano/mexicano creu ''nimim'' afinal ele tem um pouco de sangue latino nas veias e latino você sabe né bobeou dançou! Entre outras coisas que eu aprendi de outros países de todas as au pairs que eu converso aqui, afinal eu evito andar só com brasileira, eu adoro o mix cultural que esse programa proporciona.
Enfim, um mês aqui aprendi muita coisa, inclusive palavras novas!
Falando em palavras novas, hoje eu fui no college fazer o teste de inglês, a escala de nível deles vai de 1 ao 8, eu fiquei no nível 7, e na boa eu não acho meu inglês esse angu todo não.
Mas vamos ver como são as aulas, vão começar dia 16 de agosto, e se for isso mesmo até que vai ser rápido terminar o inglês para poder começar logo um curso que vai valer alguma coisa no Brasil.
E por último e não menos importante, eu comi pão de queijo esse fds, esse último fds foi o mais legal até agora! A Pauline veio para San Francisco e nós pegamos uma baladinha básica! Ai ela me convidou para dormir na casa dela, fomos para minha casa, pegamos minhas coisas e fomos para a cidade dela, no dia seguinte fomos para Napa, é uma cidade cheia de vinícolas que tem aqui perto (PERFEITA!), passamos o dia lá, inclusive fomos num castelo que tem lá que é uma vinícula também, o host e as kids dela foram com a gente, e eu amei a família dela, e com certeza quero passar mais tempo com eles, no sábado dormi lá de novo, e convidamos minha amiga suíça pra ir pra lá também, e ficamos bebendo o vinho que compramos em Napa (entre outros do host dela que ele nos ofereceu hihihihih) e jogando banco imobiliário até altas horas da madrugada!
E o host dela mto gente boa, participando de tudo, e roubando de nós pobres au pair no jogo, no dia seguinte acordamos ela fez panquecas, e eu fiz pão de queijo(!) para o café da manhã, era niver do host dela e ele adora pão de queijo, e hummm que delícia o gostinho de Brasil, aqui a gente dá muito valor nessas pequenas coisas.
Essa semana minha família está viajando, estou sozinha, numa casa enorme, com 3 carrões na garagem e um cartão de crédito, eu poderia dar uma festa (Oeeeeeeeeee) mas sério tudo que eu faço é dormir e ficar ligando e mandando mensagem para os outros hahahaha mentira, eu estou aproveitando e resolvendo a vida também, fui no college hoje, amanhã vou no DMV ver o negócio da minha driver's license, e respondendo emails e cartinhas do pessoal do Brasil que eu não tive tempo antes dessa semana.
E agora eu vou indo levar minha bunda gorda para comer um cheeseburguer, aproveitar que não tem ninguém aqui e comer umas coisas americanas e nada saudáveis hahahaha
Obrigada pelo carinho! E por todos os parabéns no meu niver! E obrigada a todos que visitam esse blog e comentam por aqui...
PS- Eu acabei de olhar para o lado de fora da minha janela e está uma puta neblina e um puta frio, mas melhor passar frio do que morrer de fome... Verão da California uma ova!
 

Read Users' Comments (8)

Visita da LCC, meu GPS, praia, comida e meu intestino!

Hey! Finalmente minha LCC veio me visitar, segundo as regras ela deveria vir em 48h depois de eu chegar na casa, para ver se tudo está bem, se eu me instalei direitinho, se me receberam bem, e me dar informações sobre escolas, seguro saúde e etc, eu particularmente acho muito mais útil ela ter vindo na minha terceira semana, porque estou muito mais bem familiarizada com tudo para poder absorver as outras informações adicionais que ela tinha para me dar. Com dois dias aqui eu ainda estava com a sensação de quero ir embora... lembram?
Bom ela foi muito legal comigo, primeiro a gente sentou junto com a minha host, meu host tava no mesmo ambiente fazendo alguma coisa no PC mas duvido que estivesse interessado no assunto, repassamos algumas regras gerais da casa, respondemos algumas perguntas para ela colocar no relatório dela, ela me deu um material muito legal sobre viagens com 20% de desconto para au pairs, sobre o recolhimento de imposto que agora nós au pairs somos obrigadas a recolher (Nem no Brasil eu tinha que pagar porra nenhuma chega aqui essa putaria de imposto de mim, coitada de mim, que recebo menos do que o salário mínimo americano!), enfim e algumas coisas do seguro saúde, etc, nenhuma novidade, então após essa reunião geral ela veio no meu quarto ver se eu estava instalada e tal e fez várias perguntas, e quis saber longe dos ouvidos da host se eu estava mesmo feliz e bem instalada, acredito que a ex-aupair deve ter feito alguma reclamação para ela, provavelmente as mesma que fez para mim, e eu contei detalhadamente meu relacionamento com a host, e com a rotina da casa, só para ela sentir que devia ser problema de comunicação entre a host e a ex-aupair porque eu não sinto nada de errado nem de ruim aqui e ela disse: ''Eu acho que a sua host é muito legal, eu nunca entendi as reclamações da fulana, fico muito satisfeita de ver que você está feliz e adaptada.'' Enfim, ambas chegamos a conclusão que a fulana é muito legal, mas as reclamações eram meio hã?
Bom, eu comprei meu GPS essa semana, eu tirei do dinheiro que eu trouxe do Brasil para emergências, beleza, um GPS não seria uma grande emergência para muitas, porém aconteceu um negócio tenso comigo, eu fui sair com as meninas semana passada, e me perdi totalmente na hora de voltar para casa, eu fiz um retorno para o sentido errado e ao invés de vir para o Norte onde eu moro eu fui para o Sul, e acabei saindo da cidade e fui parar na cidade vizinha (San Jose) 3 horas da madrugada sem a menor idéia de como voltar para casa, sem uma viva alma na rua, num lugar com uma cara tensa, eu comecei a chorar e rezar, fiquei completamente desesperada quando me vi fora de San Francisco sem idéia de onde estava, bom Deus ouviu minhas preces de depois de uns 20 minutos fazendo retornos sem pé nem cabeça porque eu não tinha a menor idéia do que fazer e pra onde ir, vi uma placa Downtown SF, puta que pariu eu quase chorei de felicidade e quando depois de sei la uma hora rodando sem saber direito onde eu estava, eu cheguei em casa com uma puta dor no pescoço acho que fiquei muito tensa de ficar perdida e meus músculos do pescoço endureceram e fiquei com torcicolo.
Também fui conhecer as praias aqui perto de casa, lindas mas um frioooooo do caralho, desculpa pelo caralho mas só essa palavra para descrever um dia de praia, num verão da Califórnia de 13ºC onde a gente fica batendo os dentes de tanto frio, e engraçado demais ver o povo de shortinho e correndo na praia como se estivesse curtindo 40ºC, enquanto outros estão com 2 moletons, sentado na areia tomando sol, por sol leia-se dia cheio de nuvens com um sol que não faz nem cosquinha, mas até que a areia estava quentinha, mas eu quase congelei meu pé quando tentei pisar na água. Mas a vista é linda, e um dia de praia é sempre relaxante, mas aqui desde que você esteja bem agasalhada.
A comida não tenho tido problemas, acredito que não engordei, alguns dizem que emagreci mas quando eu comprar a minha balança que vou saber com certeza como andam as coisas, eu não sinto que engordei, aqui na minha host casa a comida é bem saudável, tudo é orgânico e fresco, tem bastante frutas e legumes, o que eu mais estranhei foi comer lanchinhos até a hora do jantar e só na hora do jantar comer alguma coisa mais com cara de comida do que com cara de belisco. Eu poderia fazer comida na hora do almoço mas tipo é deprimente comer sozinha, então eu acabo comendo um sanduiche, queijos magros, pão integral, salada, as vezes peito de peru, as vezes um hamburguer de frango. Enfim, eu tenho a famosa gaveta de porcarias que toda au pair tem, mas eu também tinha uma no Brasil (que minha mãe sempre comia tudo do meu esconderijo) mas eu não sou muito alucinada por chocolates e doces, somente numa determinada semana do mês, ai nessa determinada semana do mês eu como a cota do mês inteiro, sim é na semana da minha TPM, sempre fui do tipo que fazia lanchinhos antes de dormir(o famoso lanchinho da madrugada que muitos dos meus amigos do Brasil me viam levando pra casa), aqui não mudou muito porque o jantar é as 5:30 da tarde, então tipo antes de eu durmir geralmente umas 11 horas da noite eu estou com a barriga meio que roncando (minha anaconda), então geralmente tomo um copo de leite (com baixo teor de gordura) e pão integral com cream cheese se a anaconda não se acalma só com o copo de leite. =)
Enfim comida para quem sabe cozinhar e não se importa de testar coisas diferentes até descobrir o que você gosta aqui, sem deixar suas veias sempre entupidas de gordura trans (sim Snow balls, os bolinhos de chocolate com recheio e cobertura de marshmallow (vide foto) são gostosos mas comer isso todo dia é pedir pra ganhar uns quilos a mais), o que é muito fácil se você não controlar o que come. Eu nunca fui do tipo que pegava leve com comida, meu negócio sempre foi comer até quase explodir, mas San Francisco é uma cidade irritantemente saudável, todo mundo faz algum tipo de esporte ou tem um corpo nojento de tão sem gordura, quase não se vê gente gorda aqui, não que eu seja gorda, mas com as tentações de querer experimentar tudo posso ficar rapidinho, e não estou afim visto que no meu último mês no Brasil engordei 10 kilos.
Então sobre meu intestino, não sei se são as frutas, fibras, legumes, leites, as porcarias e cia ltda que eu como aqui, mas eu vou mais no banheiro aqui do que eu ia no Brasil, ah e eu peido mais também, aliás acho que todo mundo peida muito nesse país, minhas outras amigas au pairs também me falaram que a flatulência delas aumentou consequentemente, então definitivamente a contribuição americana para a camada de ozônio não vem só das fábricas, carros e etc, e sim deles mesmos! 
Vai ver por isso eles não quiseram assinar o protocolo de Kyoto...   



 
 

Read Users' Comments (9)

Primeiros dias sozinha com as kids, lavando roupa, dirigindo e a porra da saudade...

Tá bom é muito feio ficar escrevendo palavrão, mas saudade é uma porra mesmo.
Esses estão sendo meus primeiros dias sozinha com as kids, por enquanto eles ficam 80% do tempo muito bem, 10% do tempo eles me testam e eu tenho que ser firme, e outros 10% eles fazem birra ou coisa errada e eu coloco de time out (castigo).
Eles são bem obedientes, não são tipicas kids americanas mimadas, porque os pais nem sempre deixam eles fazerem o que eles querem, eles tem regras e devem cumprir se não time out na hora.
Nós fazemos muitos programas legais, eu trabalho só de tarde, o que é meio incomun para um schedule de au pair, acaba sendo bem menos de 45h por semana, de manhã eles vão pra escola, e de tarde eu sempre levo eles para parques, museus, zoológico, playground, etc.
Assim o dia passa rápido e eu me divirto junto com eles, é uma diversão com responsabilidade, mas não deixa de ser divertido.
Provavelmente au pairs que tem que ficar o dia inteiro dentro de casa com as kids deve ver o tempo passar mais devagar e deve ser mais aborrecedor e trabalhoso para entreter as crianças, mas nos parques eu só fico de olho neles, não preciso ficar atrás deles todo o tempo, eu deixo eles soltos para bricarem a vontade, e aí se eles precisam de mim, eles sabem onde que eu estou, ou me gritam para balançar eles, ou porque querem água essas coisas.
Lavar roupa aqui é uma delícia, só enfiar tudo na máquina, depois tudo na secadora, e por mágica não precisa nem passar depois, só dobro e coloco no closet.
Porque a gente se mata lavando roupa no Brasil hein?
E os carros os dois carros que dirijo são automáticos, muito provavelmente quando eu voltar pro Brasil vou sentir falta da facilidade de não trocar marcha, só acelerar e brecar, e admirar a paisagem hahahaha
Eu fui no DMV sexta passada pegar o Handbook driver que é aquele livrinho que a gente estuda para fazer o exame da Driver's License.
Eu poderia ter pego pela internet, mas eu fui pessoalmente porque aí no dia da prova eu já tenho uma noção de onde é e não vou me perder tanto para chegar.
Por enquanto está tudo bem aqui, minha família me trata muito bem, minha host até me levou hoje no lugar que tira o Social Security, eles sempre perguntam se estou bem, precisando de alguma coisa, se precisa comprar alguma coisa que estou com vontade de comer, e agradecem quando eu faço alguma coisa fora da minha obrigação tipo ajudar com a louça depois do jantar, visto que ajudar com a louça significa colocar tudo na dishwasher (lava-louças)  o que nem dá muito trabalho.
Eu queria agora falar rapidamente sobre a porra da saudade, é assim gente, homesick é um caralho e não é uma palavra forte suficiente para demonstrar tudo que a gente passa aqui em relação a sentimentos.
Eu ainda não tive homesick que a meu ver seria uma infelicidade tremenda que dá vontade de voltar pra casa, mas eu morro de saudade dos meus amigos, da minha casa, do meu carro manual mas que é meu, minha mãe, meu padrasto, minha cachorra!!!!!!!!! meu peixe, meus livros, e tomar umas de vez em quando hahahaha Mas muito amigos estão me surpreendendo com lindos emails contanto como vai a vida, e mandam fotos, me incentivam, falam que foram visitar minha mãe, e isso não tem preço, faz com que eu me sinta muito melhor aqui e com muito mais força de ficar pra alcançar meus objetivos.
Não sei se é uma coisa que eles vão fazer só agora que minha partida é recente e a saudade está mais latente, mas eles não fazem idéia da força que essas atitudes me dão.
Eu realmente me preocupo com a minha mãe, e meus amigos, e estar fora do meu alcance poder fazer alguma coisa me deixa em pânico as vezes, mas saber que estão uns cuidados dos outros me acalma de um tanto que eu consigo viver aqui em paz.
Por tanto, obrigada gente, até as au pairs que comentam aqui no blog, isso é extremamente vital para minha sanidade mental no momento, não que eu seja muito normal da cabeça ou bacana mas pelo menos ainda não matei ninguém e as kids estão com todos os dedinhos nas mãos... brincadeirinha! =p

Read Users' Comments (11)

Primeira semana na host family, primeiras lágrimas e a cidade....

Essa minha primeira semana na host family foi bem tranquila, passei por muitas sensações diferentes durante a semana, logo no meu primeiro final de semana aqui eu fui para uma cidade perto daqui com a host family, era 4 de julho eu não conhecia ninguém para ir para algum outro lugar mais agitado, então fui com eles, passei o dia vendo as kids brincarem na piscina, depois passamos no IN-N-OUT BURGUER que minha host disse que tem o melhor hamburguer e batata frita, além de ser saudável porque é feito com ingredientes frescos, e minha host é toda preocupada em comer e dar para as kids alimentos orgânicos e frescos. E de fato era bom mesmo.
Eu dirigi todos os dias essa semana, senti muita diferença porque um dos carros é um Toyota Highlander grande e alto que eu uso para andar com as kids, e o outro é um mini cooper que parece que você está três palmos do chão, sem contar que os carros são automáticos e eu só tinha dirigido carro manual até hoje. Mas até que fui bem, as regras de trânsito também são diferentes, então tenho que ficar sempre atenta, mas acredito que até eu poder tirar minha Drive's License daqui vou estar craque no volante.
A comida foi outro fator pertubante porque ficar no lanchinho até chegar a noite ninguém merece. Mas hoje por exemplo eu fiz o jantar aqui e meus hosts aprovaram e elogiaram. E quem me conhece sabe que a Anaconda que vive no meu estômago é super reclamona. Essa foto do lado por exemplo foi uma amiga que tirou, porque ela disse que era a primeira vez que eu parecia feliz no almoço, claro era o primeiro dia que tinha comida de verdade no almoço sem ser mato (vulgo salada) ou algum lanche esquisito.
Ontem foi a primeira vez que eu chorei aqui, e ainda nem tive a famosa e devastadora HOMESICK, eu chorei porque a atual au pair da minha casa falou tantas coisas sobre a host ser mal humorada e a dificuldade de locomover-se em San Francisco, que eu fiquei insegura sobre minha escolha quanto a host family e o lugar, e ai eu estava com um choro engasgado e beleza fomos para downtown de busão porque é impossível estacionar naquele lugar, e eu estava visivelmente infeliz, porque sou muito transparente com meus sentimentos, e foi impossível esconder a infelicidade do momento, mas ela foi super nice apesar de ter sido ela que me deixou pra baixo, e me levou pra ver algumas lojas em downtown Victoria's Secrets, Aldo, Macy's que tinha Kipling a preço de banana o que me fez abrir um sorriso bem largo! 
E tivemos um meeting de au pairs no Mall perto dalí, cheguei me senti estranha e queria ir embora mas ela me convenceu ficar e foi legal até perguntarem porque ela estava saindo da family e ela dizer um monte de coisa que ela acha de defeito neles e ficar falando que eu estava triste  para as outras meninas, o choro veio na garganta de vontade de esganar ela de tanta falta de noção de ficar me apavorando na minha primeira semana, poxa adaptação é um período tão confuso e difícil, minha family tem me tratado muito bem, ficar ouvindo os problemas que ela teve com eles é um balde de água fria, se fossem problemas graves tudo bem, mas coisas como ''minha host não quis renovar comigo porque eu não sei cozinhar'' e ''minha host não quer que eu chegue depois da meia noite durante a semana'' e a mais repetida '' minha host parece estar sempre de mal humor'' ela falou tanto isso que hoje quando fui pedir para ela deixar eu trazer uma amiga para dormir aqui eu estava tremendo de medo de como minha host ia agir, no fim das contas minha host foi super nice e deixou de boa, até me perguntou se eu ia precisar de mais colchão. 
A atual au pair é uma boa pessoa, talvez nem esteja fazendo por maldade, mas me afetou, talvez não tenha sido uma boa, pegar o humor de uma pessoa que está terminando o ano, a paciência e de saco cheio com uma que chegou toda empolgada. 
Depois de eu ter engolido o choro no mall eu cheguei em casa e tinha um email da minha mamy e tinha uma fotinha de uma festinha que eles fizeram em casa todos meus amigos com saudades de mim que foram visitar minha mamy, isso é muito bom porque quero ela rodeada de pessoas enquanto eu estiver ausente. Mas mandar a foto foi fofo mas foi sacanagem porque nessa hora me lasquei de chorar... SEUS LAZARENTOS NÃO FAÇAM MAIS ISSO COM ESSE MEU CORAÇÃO CHEIO DE GORDURA TRANS MADE IN USA.
Mas enfim, conheci muitos lugares legais, graças a ela que vai me dando as direções para os lugares. Ou seja ter a atual au pair junto por um tempo tem suas vantagens e desavantagens.
Essa semana tambem fui ver Eclipse, fiquei esperando a legenda e nada, depois de uns cinco minutos que eu fui me tocar ''Aloooouu vc ta na America queridinha, nada de legenda pra vc.'' Então olhei para o tamanho da pipoca e do refri nas minhas mãos e tive certeza que eu estava na America mesmo... ;) 

Read Users' Comments (11)

First post from USA...Treinamento, NYC, chegando na host family, e o primeiro impacto!

O treinamento, posso dizer que foi uma das coisas mais torturantes que passei na minha vida. 
Eu estava muito cansada as poltronas do avião eram muito apertadas, não consegui dormir e ainda passei mal porque acho que a comida do avião não desceu direito e eu fiquei com aquela sensação de vou vomitar 70% do tempo.
Chegando no treinamento, tudo é muito bem organizado, eu tomei banho rapidinho e desci para pegar o shuttle do hotel para ir para o mall com algumas meninas, precisava jantar visto que no treinamento eles oferecem apenas breakfast e lunch o dinner fica por nossa conta, aproveitei e fui na Best Buy do mall e comprei minha camera, eu ia deixar para comprar em San Francisco, mas ainda bem que eu comprei eu teria perdido muitos bons momentos se não tivesse comprado. 
O tour por NYC foi arruinado por umas malditas alemãs que se separam do grupo, quem pagou os 40 dolares para ver NYC ficou extramamente decepcionado. Para minha grande surpresa no terceiro dia de treinamento foi anunciado o ganhador de uma competição onde os grupos estavam separados por cor, e para minha felicidade eu era do grupo ganhador (roxo) e nos pudemos ir para um tour por NYC mais exclusivo, onde ficamos livre, leve e soltas em NYC. Ver a Times Square pela primeira vez é chocante, a gente fica fascinado com as cores, as pessoas e caminhar naquele lugar onde tantas vezes a gente vê na televisão é impressionante, eu não sabia para onde olhar, na foto ao lado sou eu e a suiça que eu conheci no treinamento, a gente ficou grudada o tempo todo, me identifiquei muito com ela apesar dela ser mais nova, ela mora meia hora de San Francisco espero que depois da fase de adaptação a gente consiga marcar algumas saideiras... 
E as outras duas brasileiras que que moram aqui perto tambem Pauline e Tatiana duas fofas, com certeza se a gente conseguir se adaptar e ficar juntas estamos feitas porque todas muito legais!
Hoje é meu segundo dia aqui na minha host house, eu cheguei muito tarde na quinta estavam todos dormindo meu host dad que foi me buscar ele estava com uma plaquinha de welcome Dani que as kids fizeram com purpurina, a gente veio conversando do aeroporto até em casa e ele me mostrou algumas coisas no caminho, mas tipo eu estava muito cansada, nem lembro de tudo que ele veio falando, mas a intenção dele foi boa. 
Ele me ofereceu comida, bebida, e etc mas eu estava com o estômago embrulhado, tinham sido mais 8h voando de NY para San Francisco e além disso eu estava um pouco nervosa para o primeiro encontro. 
Em casa tinham flores, chocolates e desenhos das kids para mim de welcome.
Eu dormi mais ou menos 1h da manhã e acordei as 6:30 para ver o jogo do Brasil, que fez o favor de perder para meu desapontamento. 
A atual au pair me recebeu muito bem, mas ontem no meu primeiro dia ela falou muitas vezes que está com muitos ciumes de mim, ontem eu passei o dia como a sombra dela, a host tinha me falado que eu podia ficar aqui descansando mas eu preferi ficar com ela participando da rotina da casa. 
Todos me receberam muito bem, a casa tem muitas regras provavelmente a adaptação não vai ser a coisa mais facil do mundo mas eu sabia que não seria. 
Estou com saudade de casa, eu estou sentindo o choque cultural mais pela comida, esse costume de comer lanchinhos o dia todo e comer alguma coisa sustentável a noite é complicado para meu estômago, mas eu vou me acostumar, principalmente quando eu começar a cozinhar aqui, porque poderei deixar um pouco de comida para meu almoço e não vou ter que comer lanchinho na hora do almoço. 
Falando em comer, meus hosts e as kids acabaram de chegar em casa e comeram hot dog na piscina de jantar, então vou ter que ir pra cozinha fazer alguma coisa pra forrar o estômago, e vou dormir, porque eu ainda me sinto muito cansada o tempo todo. 
E amanhã acho que vamos viajar, então não quero dormir no carro junto com as kids, então acho melhor eu descansar. 
A area que eu moro é linda demais, meio longe do centro da cidade, e precisa pegar o carro se precisar comprar alguma coisa, mas aqui é muito lindo, estou encantada, a minha casa, meu quarto, não tenho do que reclamar, inclusive do meu banheiro eu consigo ver um pedacinho da Golden Gate Bridge, então como eu vou reclamar se eu cago com vista para uma das maiores atrações de San Francisco ;) 
 

   

Read Users' Comments (14)

Last post from Brazil... e as benditas malas!!!

Se tem uma coisa foda, mas foda mesmo, que me deixou enlouquecida foi fazer as benditas malas! Venho tentando fechar as malas definitivamente a exatamente duas semanas, mas sempre lembro de uma coisinha ou outra, ou de tirar uma coisa ou outra, e o medo com o peso, e em não exagerar, é constante apesar de eu ter seguido o ckeck-list da agência quase a risca!

Documentos (sempre na mala de mão)
- passagem aérea
- passaporte válido e cópia
- RG (pra quem é menor de idade e tem o passaporte azul)
- visto (se necessário)
- cartão internacional de vacinas com vacinas necessárias (ver site da Anvisa)
- cartões de crédito, cartão Travel Money, travellers cheques, dinheiro trocado
- Assistência Médica Internacional ISIS
- confirmação do curso/programa
- confirmação de acomodação/endereço
- carteira do estudante ISIC/Jovem Card
- cartão do seu orientador STB
- endereço do Consulado Brasileiro local
- confirmação de transfer
- autorização de menor de 18 quando viajando desacompanhando de um ou dos 2 pais (emitida com menos de 30 dias)

Mala
- sapato (confortável), tênis, chinelo, bota
- meias
- roupas íntimas
- pijamas
- calças
- bermudas e shorts
- saias, vestidos
- acessórios, bijuterias, cintos, óculos de sol, etc.
- camisas e camisetas (manga curta/longa)
- luvas, cachecol e gorro
- casaco, moletom, malha
- bolsa, mochila
- roupa pra esportes
- roupas e saídas de banho
- toalha de banho e rosto
- roupa para algum evento formal

Nécessarie
- escova, pasta de dentes* e fio dental
- pente e escova de cabelo
- cotonete, algodão
- hidratante*
- xampu, condicionador*
- sabonete
- desodorante*
- filtro solar/protetor labial
- kit manicure*
- kit barbear*
- perfume*
- absorventes
- canivete, tesoura ou cortador de unhas*
- secador de cabelo
- maquiagem, demaquilante*
* não levar na bagagem de mão

Remédios
- primeiros socorros (band-aid, merthiolate, gaze, água oxigenada)
- termômetro
- pastilha para garganta
- descongestionante nasal
- analgésicos
- anti-inflamatórios
- remédio para enjoo e desarranjo intestinal
- colírio
- antigripal
- remédios com receitas (todos acompanhados da bula)
- receita médica em inglês (quando necessário)
- óculos ou lentes de contato

Outros
- máquina fotográfica/filmadora
- celular, smartphone, notebook
- despertador portátil
- pilhas, baterias e carregadores
- adaptador de tomada
- porta-moedas
- cadeado e etiquetas para mala
- guarda-chuva dobrável
- lista de telefones úteis ou de emergência
- estojo, dicionário
- lembrancinha para a família
- endereço dos amigos para os cartões postais
- listinha de presentes para quem ficou no Brasil

Na mala de mão
- documentos e objetos de valor
- uma muda de roupa
- leitura de bordo

Não pode
- objetos cortantes e inflamáveis
- plantas e sementes
- produtos com pelo animal
- alimentos (frutas, carnes e laticínios)
- líquido, creme e gel em recipiente com mais de 100ml na bagagem de mão

Essa semana também tive minha reunião de orientação, onde recebi meu kit visto com duas camisetas uma para usar no embarque para as outras au pairs me identificarem no aeroporto, e outra que é da Torcida STB da Seleção Brasiliera. No Kit também vem os dados de reservas do vôo, do hotel, do treinamento, os dados da família, capinha para o passaporte, cartão de identificação da mala...

A parte mais importante é: são 06:04 da manhã eu estou aqui acordada com minhas duas melhores amigas batendo papo, e temos que sair da minha cidade com destino a Guarulhos as 11:30 da manhã, minha mãe alugou uma van e vão todos meus amigos queridos, ela e meu padrasto me levar no aeroporto e isso está sendo muito especial para mim, eu quis chorar muitas vezes ainda não chorei nenhuma, ganhei um scrapbook lindissimo de uma amiga, e uma almofada com fotos de outra amiga, tbm ganhei um Garfield do meu melhor amigo que eu tenho costume de chamar de Gateeeenho e ele me chama de Gateeeenha, é muito presente, muito carinho, muita vontade de levar todo mundo comigo, porque eu sou uma egoísta não quero que todo mundo fique aqui sem mim e não quero ir sem todo mundo!
Dói ir, é um sofrimento de uma maneira que eu nem sabia que era possível se antecipar.
Mas é minha escolha, e eu vou em frente, essa viagem eu estarei me desligando de tudo que me é familiar e amigável, acredito que nessas condições, quando não podemos não contar com mais ninguém, torna-se uma viagem não só para outro país mas também uma viagem para dentro de nós mesmos, é a viagem do auto conhecimento.
Não vou forçar lágrimas, quando meu corpo sentir que é a hora de por pra fora esse misto de sentimentos que estão aqui dentro, será natural e acredito que será também extremamente doloroso...
Mas quem disse que não sentiu homesick é porque não deixou para trás alguém que amava muito, a minha provavelmente vai ser de lascar, mas não vamos antecipar sofrimentos... no momento eu estou feliz, me cagando de medo, me achando a louca que resolveu mudar de vida mas foi radical demais, mas mais do que nunca com total certeza de quem são as pessoas mais importantes da minha vida, e como amor é essencial...

Boa sorte para mim e para todas as meninas que estão embarcando, que seja uma grande experiência para todas nós!!!! =) 

Tchau Brasil!

Read Users' Comments (11)

A vida 10 dias antes do embarque...

Uma coisa eu posso dizer: O tempo voa. Quando eu fiz meu match estava super tranquila, levando tudo como se houvesse amanhã, e apesar de ter adiantado muitas coisas, hoje a 10 dias do meu embarque, parece que tem um milhão de coisas para fazer e que eu não terei tempo o suficiente. Antes eu estava neurótica com o que levar, malas, presentes, comprei tudo, no mesmo dia que fui pra São Paulo pegar meu visto, sai do consulado e fui as compras, resolvi 80% dos meus problemas, uma mala já está devidamente fechada a outra ainda está com coisas pendentes para por dentro. Mas mala é uma coisa que vai ficar para o próximo post, o que eu queria dizer hoje é que eu desencanei de ficar tentando pensar logicamente em tudo, e resolvi curtir com pronfundidade tudo e todos desse meu Brasil. Ser au pair em ano de copa do mundo, não tem preço. É tão fácil encontrar coisinhas do Brasil que dá para gente levar, sem contar que o país fica num clima totalmente diferente, e é absolutamente incrível testemunhar essa paixão insana que brasileiro tem por futebol. Os carros na rua com bandeirinhas do brasil, pessoas com camiseta do Brasil, os estabelecimentos comerciais decorados para a copa, as cidades decoradas para a copa, as casas com bandeiras nas janelas, é lindo, e me faz pensar duas coisas: primeiro que eu amo muito esse país e para mim não tem melhor no mundo apesar dos defeitos, e segundo que saudade eu vou sentir desse clima de copa do mundo no Brasil porque nos EUA dia de jogo pra eles não vira feriado! rs
Estou passando muito tempo com meus amigos, os sentimentos pelas pessoas seja, amor, amizade, quimíca ou qualquer outra coisa vira uma coisa ENORME todo mundo fica de coração aberto, e eu pelo menos estou me sentindo muito querida, as pessoas me abraçam e dizem que me ama e que vão sentir minha falta, coisas que as pessoas não dizem todos os dias, afinal parece que quando a gente tem um tempo determinado as pessoas se esforçam mais para os momentos valerem a pena, e tem sido incrível e muito divertido! E os sentimentos tipo ódio, mágoa e rancor parece que a gente consegue superar, porque diante da mudança de vida que vamos ter, não vale a pena levar nenhum sentimento ruim, e as pessoas que estavam na nossa lista negra da noite para o dia parecem ser tão insignificantes para a gente perder tempo com picuinha. Tem dias que eu fico extremamente com vontade de desistir, me sinto louca, uma aventureira inconsequente que não tem a menor idéia de onde está se metendo. Mas em outros dias eu acordo desejando que fosse meu dia de embarque. Eu preciso confessar que eu estou morrendo de medo, não de não me adaptar, mas de sofrer, eu não gosto de sofrer, eu sou do tipo que não penteia o cabelo todo dia só pra não sentir dor no couro cabeludo, imagina dor de distância que não há nada que a gente possa fazer a não ser esperar que o objetivo seja cumprido. Me preocupo com a minha mãe, extramente, ela é minha maior preocupação, me dá palpitações só de pensar que ela pode precisar de mim e eu vou estar longe, mas eu já aprendi também que nessa vida preciso confiar em Deus. E se eu cheguei até aqui, se passei por tudo que passei, se meu visto foi aprovado quando eu achei que isso só por um milagre, esta aí o milagre aconteceu, visto concedido (que ainda não chegou!) e embarque em 10 dias! Se isso não for um sinal de Deus que é esse o rumo que minha vida deve tomar agora, eu não sei o que pode ser. Mas para mim por enquanto eu acho que é isso que eu devo fazer, e mesmo querendo esticar os minutos em horas para passar com as pessoas que eu amo, eu sei que meu amor por elas e o delas por mim não irá mudar porque eu fui alí... rs Sempre fui a pessoa certinha que seguia as regras, e até criava mais algumas, hoje eu quebro regras, e quero me desafiar, testar meu limites, e me sentir capaz de correr riscos, me sentir capaz de fazer coisas que nunca fiz sem medo de ser feliz, sem culpa, sem me auto-criticar e sem medo. Aquela velha pergunta: Vai contar o que para o neto? Eu quero ter o que contar, até agora não tenho muito, nada muito emocionante que deixaria os netinhos de boca aberta, e pela primeira vez na vida eu não tenho planos a longo prazo, e não faço a menor fucking idea onde minha vida vai parar, mas quer saber eu nunca me senti tão leve, saber aos 22 anos o que fazer da vida era um fardo e hoje eu não sei mais, não que eu tenha me tornado uma pessoa sem objetivos, eu tenho, mas nenhum que eu tenha que concretizar imediatamente, eu estou seguindo os conselhos de Pedro Bial: ''Não se sinta culpado por não saber o que fazer da vida. As pessoas mais interessantes que eu conheço não sabiam, aos vinte e dois, o que queriam fazer da vida. Alguns dos quarentões mais interessantes que conheço ainda não sabem.'' E acho que ele conhece muitos quarentões ricos, então estou no caminho certo hahahaha
Mas gente o objetivo desse post de hoje é dizer que dúvidas vão aparecer a todo momento se você está fazendo a coisa certa, viva um dia após o outro valorizando cada momento, ao despedir-se das pessoas deixe uma energia positiva, deixe de última impressão aquela que você quer as pessoas guardem sobre você por todo o tempo que você vai estar ausente, e como último conselho se você engordar horrores antes do embarque porque começou a comer tudo que tem no Brasil e não tem lá, eu por exemplo gosto da chamada comida de boteco pastel, coxinha, cebola australiana, bolinhos de quejo/frango/carne, escondidinho, feijoada, e comida da mãe, da avó e da tia como se fossem a última coca-cola do deserto...
Desencana isso é normal, chegando lá faz academia e está tudo certo, quem ganhou quilos depois do match levante a mão aeeee  o/
O importante é não deixar passar, o abraço, o eu te amo, e nem a última coxinha em terra brasileira ;)

Read Users' Comments (7)

I GOT MY VISA!!!!!!!!!!!!!!!!!!! (outro título deliciosamente clichê!!!)

Em primeiro lugar, desculpa a demora gente para postar notícias! Esse post vai ficar enorme, mas algumas meninas pediram detalhes! Então aí vai!
São Paulo nessa sexta-feira estava uma loucura indescritível, coisa de demorar 25 minutos para o táxi fazer 7 quarteirões. Meu visto foi o primeiro do dia então eu sai super cedo do consulado e cometi a loucura de ir pra 25 de março e brás fazer compras! Cheguei em casa com cada célula do meu corpo pedindo cama, depois de 48h acordada, muita tensão, e a batida de perna do dia.
Na minha opinião cada menina tem uma parte do processo em que fica mais tensa, algumas ficam mais tensas no preenchimento do application, outras no teste de inglês, outras na entrevista com famílias, eu particularmente tinha o visto com o grande vilão da minha história, aquele que iria definir se tudo foi ou não em vão. No começo eu não tinha nada, nenhum documento, e corri atrás de tudo possível, pegando o máximo de dicas com quem já tinha tirado visto, em sites especializados no assunto, li e reli as regras do consulado e me preparei com o máximo de documentos possíveis.
Bom eu vou começar a contar da quinta-feira, eu não dormi mais do que 2h a noite toda e logo cedo estava de pé, não conseguia dormir de tão tensa e ansiosa, passei o dia todo revendo a pasta, e separando a roupa, recebendo telefonemas, emails, e msgs de boa sorte, as 21:30h eu jantei, as 22h eu tomei banho, as 22:30h eu me troquei, arrumei a bolsa, coloquei o sapato, passei uma leve maquiagem que deveria durar até o dia seguinte para estar com uma carinha melhor apresentável na entrevista, as 23:30 sai de casa, as 23:59h eu peguei o ônibus para SP.
Durante a viagem mal cochilei, sentia meu corpo muito cansado, e muito tenso, mas toda vez que eu pensava no propósito da viagem me dava palpitações, só eu sei a minha guerra interior para manter o controle.

  As 2:30h o ônibus parou no Graal para o pessoal tomar um café, e achei super legal a decoração para a copa (vide foto ao lado), com todas as bandeiras dos países participantes, tomei um cappucino, comi um pão de queijo e peguei uma água, meu estômago embrulhou, porque eu sabia que meu destino estava cada vez mais próximo.
As 4:35 cheguei em SP, esperei por meia hora e minha carona chegou e levou eu e minha mãe para o consulado, mas como ele não sabia o caminho direito chegamos ao consulado quase 6:00h e já tinha umas 15 pessoas na fila.
Não vi ninguém com cara de au pair, só vários adolescentes com a mãe que iam pra disney, e duas gurias mais velhas atrás de mim que também iam pra disney, depois foi chegando vários tiozões engravatados com ''vou pedir visto de negócios'' carimbado na testa.
As 6:22h o Consulado abriu suas portas, minha mãe me deu um beijo e desejou boa sorte, e o guardinha estava gritando as instruções sobre não poder entrar com aparelhos eletrônicos, celulares, frente de tape, etc., o que segundo minha mãe criou um clima tenso por muitas pessoas tentarem entrar com isso.
A primeira fila a mulher olhou meu passaporte, meu papel do agendamento, pediu meu formulario DS2019 e ai ela espirrou em mim nem fez questão de por a mão na boca, eu tapei a respiração e falei saúde, ela agradeceu e escreveu ST (SUPOSTA TERRORISTA????) no meu papel do agendamento, ai passamos de dois em dois numa salinha para ser scaneado pelo detector de metais, e depois seguimos a linha verde até o pátio, que é um lugar aberto, sem parede, cheio de bancos, na frente dos bancos tem as cabines onde são feitas a pré-entrevista, coleta de digitais e entrevista nessa ordem, mas antes disso você pega a fila num bancão do lado esquerdo onde ela grampeia seus formulários no passaporte e te dá a senha (a minha foi 4002 entregue as 6:41h), depois de acordo com a senha você vai na pré-entrevista e deixa o passaporte e os formulários, fiquei sentada no banco depois disso,e nesse tempo passaram duas pessoas no estilo Em que posso ajudá-lo? que a gente encontra em bancos, entregando envelopes e cartões AR para a gente preencher para o SEDEX, fiquei sentada uns quinze minutos, encontrei algumas meninas que iam fazer au pair todas muito antipáticas e nada afim de bater papo para passar o tempo, só uma guria que ia pedir o de estudante que estava em pânico puxou papo comigo, mas as que nem me deram bola precisaram me pedir a caneca emprestada pra preencher o papel do sedex. Logo em seguida na cabine vermelha foram aparecendo os número no painel que tinha que formar fila no guichê das digitais, e uma moça loira do cabelo enrolado foi quem me atendeu, ela não falava nem português nem espanhol, mas deu para entender que era pra colocar bem juntinho primeiro os 4 dedos esquerdo, depois os 4 dedos direito, e por último os dedões juntos, e ela pediu para eu seguir em frente e esperar que meu número seria chamado no painel da área azul de entrevista (que era 3 passos de distância), enquanto eu estava em pé procurando um lugar onde sentar, porque estava tudo lotado, um moço no estilo Em que posso ajudá-lo? Passou por mim e pediu para eu esperar em pé que ele ia montar uma fila de entrevista, e eu falei tudo bem, quando ele saiu apareceu um moço atrás do vidro do guichê que estava na minha frente me chamando com a mão, e eu olhei ao meu redor para ver se era comigo mesmo, aí ele fez sinal de novo com a mão para eu me aproximar, ele perguntou se eu já tinha colhido as digitais e eu falei que sim (aí eu me dei conta que OPA ESSA JÁ É A MINHA ENTREVISTA????) Segue o que eu me lembro:
C: O que você vai fazer nos EUA?
Eu: Vou ser au pair.
C:Você fez faculdade?
Eu: Fiz direito.
C: Você fala inglês?
Eu: Mais ou menos?
[a partir daqui tudo em inglês]
C: bla bla bla?
Eu: What?
C: bla bla bla?
Eu: (rindo de nervoso) sorry i cant heard you
[consul mexendo no botãozinho de volume]
C: CAN YOU HEAR ME NOW? (muito alto!)
[todos que estavam sentados ficaram em silêncio olhando para o meu guichê e eu senti meu rosto quente]
Eu: Yes.
C: Do you do Law?
Eu: No, I did. I finished last december.
C: And what do you do now here?
Eu: English and Spanish classes.
C: How long do you want stay there?
Eu: 1 year.
C: What do you want do in United States?
Eu: I want do a course to improve my english.
C: What your mother works?
Eu: bla bla bla
C: And your father?
Eu: He died some years ago.
C: Tell me about your host family?
Eu: Have mom, dad and twins with almost 4 years.
C: Where you will live?
Eu: San Francisco, California.
C: AWWWW IT´S A NICEST CITY!!! (ele ficou muito empolgado essa hora)
[eu chocada com a empolgação do sr. consul estava muito apavorada para rir.]
C: So, what you want do when you back to Brazil? [back??? então você vai deixar eu ir???]
Eu: Study for an exam.
C: Ok, your visa was approved!
Eu: [pensando com meus botões a-ppro-ved = aprovado = eu consegui???]
C: Pode pagar a taxa do sedex na saída, boa viagem!
[saí do guichê sem conseguir falar obrigada, nem tchau, eu estava congelada, sabe quando você tenta sorrir e a bochecha treme]
Eu segui mecanicamente para a saída, paguei a taxa do sedex, e minha mãe estava lá fora toda aflita e abriu um sorrisão quando falei que deu certo, ela disse que estava preocupada porque muita gente tinha saído xingando, chorando e gritando.
Era 7:45h eu estava na porta do consulado com meu visto concedido, sem conseguir acreditar que ele não me pediu nada, apesar de ter feito várias perguntas eu consegui entender e responder em inglês para ele, e confesso que até agora não caiu a tal da ficha.
Saí de lá fui para o Morumbi shopping onde eu ia encotrar a Mariel e a May mais tarde, mas obviamente estava fechado então tivemos a idéia de ir para a 25 de março e brás já fazer as comprinhas, mas devido a parada gay aquilo tava o inferno na terra, tudo super lotado! Tomamos café da manhã no Mc Donald´s perto da 25 de março. Depois de horas andando e se perdendo e gastando nas comprinhas a Mariel me ligou, e combinamos de nos encontrar no mercado municipal, o que também não deu muito certo porque estava lotado, acabamos almoçando eu, minha mãe linda, Mariel e May no mesmo Mc Donald´s perto da 25 de março, e foi uma delícia! Elas são fofas demais, e eu estava com o nó no estômago se dissipando, depois do almoço nem pudemos bater perna com elas, tinhamos que tentar sair dalí para ir para a rodoviária pegar ônibus de volta para minha terra, demorou horrores para conseguirmos um táxi, eu não sei o que seria de mim sem a minha mãe nessa viagem, porque enquanto a gente esperava o táxi eu comecei a passar muito mal, afinal fazia dois dias que eu estava acordada, e minha mãe tadinha tentando parar um táxi vazio a todo custo, aconteceu até de entrarem na nossa frente pegando o táxi que ela tinha chamado, e quando ela finalmente conseguiu chamar um, eu desmaiei até a rodoviária, chegamos 40 minutos antes do próximo ônibus, tinha acabado de sair um, mas nesses 40 minutos só deu tempo de ir no banheiro, lavar o rosto, escovar os dentes, comprar uma água e achar a plataforma certa. 
Cheguei na minha cidade quase meia noite, meu padrasto buscou a gente na rodoviária, chegamos em casa tomamos banho, ele tinha feito janta gostosa que caiu deliciosamente bem no estômago depois de um dia inteiro de mc donald´s e salgados, e entregamos os presentes que tinhamos comprado para ele.
E então eu caí na cama no sono dos justos, ou melhor no sono da santa paz do visto concedido... ;)      

Read Users' Comments (10)